A força do vício apoderava-se de mim

Hoje com 32 anos de idade, Wilson procurou a Igreja Universal apenas por curiosidade, mesmo apesar de ter problemas com álcool, drogas, pornografia, ter a vida sentimental destruída e de ser rebelde em casa…

Os problemas com a pornografia começaram desde cedo, por volta dos meus 12, 13 anos. Era uma vontade constante de visualizar vídeos, chegando a ficar fechado em casa só a assistir e a alimentar cada vez mais pensamentos e fantasias. Mas, não era só em casa, aquele vício apoderava-se de mim em qualquer sítio. Lembro-me que após ter alcançado o meu primeiro trabalho, cheguei a fazê-lo várias vezes no local de trabalho ou ao volante do automóvel… era algo sufocante, uma prisão.”

ÁLCOOL E DROGAS. Posteriormente, vieram os problemas de álcool e drogas, os quais surgiram com determinadas amizades. “Os ‘supostos’ amigos diziam-me: ‘experimenta aí, homem que é homem experimenta, não custa nada…’, foi, então, também incentivado pela necessidade de acabar com todo o sofrimento e tristeza que existiam em mim, que decidi experimentar… passei a ser um dependente dos vícios e a necessidade era tanta, que todos os dias, após sair do trabalho, lá estava eu agarrado ao álcool. Cada vez que saía à noite pensava que iria encontrar a minha felicidade, mas era mais do mesmo… havia uma felicidade momentânea, mas depois tudo voltava ao mesmo.”

FORÇA PARA MUDAR. “Mesmo já dentro da Igreja Universal, não queria abandonar aquele tipo de vida, pois achava que daria para manter as duas coisas. Recordo-me que muitas vezes chegava a casa, após participar na reunião, e voltava a cometer os mesmo erros. Sentia um nojo enorme de mim mesmo… Clamava a Deus, pois não aguentava mais o sofrimento, até que aconteceram duas coisas, que hoje reconheço, terem-me empurrado para fazer aquilo que já deveria ter feito: uma desilusão sentimental e ter sido apanhado sob o efeito de álcool. Tudo isso trouxe-me mais sofrimento, mas, ao mesmo tempo, uma revolta que me levou a participar verdadeiramente pela primeira vez na Campanha de Israel.

Após cumprir o voto com Deus, tive a certeza de que a atitude que tinha tomado tinha sido a certa. Abandonei certas amizades, assim como os vícios e o meu interior foi mudando. O vazio, a tristeza e a solidão deram lugar à paz, à alegria e à força que outrora não tinha. Hoje, não sinto necessidade de me preencher com os vícios, sou realizado na vida sentimental e sou feliz de verdade!”

Wilson Toste, Portugal (Ilha Terceira)

Fonte: Folha de Portugal