Relação a três

Relação a três


O homem, muitas vezes, quando tem algum problema com a esposa, tende a buscar falsas soluções. Deixa de conversar com ela e prefere até conhecer outra mulher. Este é o seu primeiro erro. Depois, vai levando essa outra relação de forma paralela. Sem ser sincero com nenhuma das pessoas que está participando do triângulo amoroso, ele não é verdadeiro com a esposa nem com a amante, muito menos com ele mesmo.

Ilusão

Ele tem a ilusão de que participar de uma relação a três é uma grande aventura, na qual se misturam, além da infidelidade, ingredientes como a mentira, o sexo e a adrenalina de ter que se esconder e resolver situações rapidamente. No entanto, ele só vai se afundando cada vez mais. O que ele não sabe é que essa atração por um relacionamento a três pode ser um caminho nocivo e sem volta cercado por falsas promessas.

Sem dignidade

Junto com o homem, as outras pessoas envolvidas têm motivos de sobra para manter as coisas exatamente como estão. Nesse contexto, estão misturadas doses excessivas de amor e comodidade. Por terem medo da perda, todos vão sustentando o triângulo amoroso. Sem perceber, perdem a dignidade e se sujeitam a qualquer tipo de situação simplesmente para manter os parceiros ou as parceiras ao seu lado.

Responsável

Mas isso não é vida e, uma hora dessas, a situação acaba explodindo. É a esposa que não aguenta mais a traição, ou a amante que pressiona o homem pela separação do casal. Ele, por sua vez, quer enrolar e nem percebe ou não quer enxergar o quanto é culpado e responsável pelo que está acontecendo.

Tendência

A tendência é essa história ter um desfecho indesejado: o casamento acaba. Reconciliar-se com a esposa torna-se impossível. O homem se cansa da amante e das cobranças que ela faz e também não fica com ela; isso se não ocorrer nenhuma tragédia passional envolvendo algum dos três ou todos eles.

Com Ele

Diante disso, o escritor e palestrante Renato Cardoso avalia que há apenas uma situação em que o triângulo amoroso pode dar certo, mas ela não envolve três pessoas. Ficou confuso? Renato explica: “Imagine um triângulo em que você está em uma ponta da base, e a pessoa que você ama está na outra ponta. No topo do triângulo, está o próprio Deus. Com Ele, estão todos os atributos de um verdadeiro amor: respeito, amizade, carinho, justiça, fidelidade. Quando você e seu parceiro se aproximam da ponta superior do triângulo, ou seja, de Deus, vocês se aproximam mais um do outro e do verdadeiro amor”.

Perdão

Renato afirma que muitos homens fracassam em seus casamentos, pois não conseguem fazer, na prática, o que sabem na teoria. “Por exemplo, a pessoa sabe que precisa perdoar. Mas como fazer isso sem ter experimentado o perdão maior de Deus? É justamente quando se está próximo do Mestre que se consegue perdoar”, analisa.

Braseiro

Na opinião de Renato, é muito mais fácil amar sua mulher quando você está mais próximo de Deus: “Perto d’Ele, você aprende e quer tratar bem a outra pessoa. Você quer amar. O próprio Deus ordenou que devemos amar nosso próximo como a nós mesmos, isto é, tratar quem nós amamos assim como queremos ser tratados. É como se aproximar de um braseiro. Você vai logo se aquecer. Quanto mais longe se está de Deus, maior é a distância um do outro e da felicidade conjugal. Quanto mais perto d’Ele, mais perto de quem você ama e da felicidade”, conclui.

Fonte: Universal

Artigos Relacionados

2018-05-22T11:09:33+00:00