O efeito do “like” no cérebro

Depois das redes sociais, não existe mais o vazio do elevador ou da concentração absoluta em nada
- Núbia Siqueira